A minha é maior que a tua.

Quem não consegue mandar numa capelinha cria a sua própria enxameando o ecossistema de pequenos grupos que mais valia não existirem, por nada acrescentarem, aumentando entropia e dispersão de recursos e força. Distrai. Divide. No limite, cada um de nos é rei da sua capelinha individual que ao não estar disponível para integrar nenhuma das oficiais ou clandestina com pretensões a catedral se torna um proscrito incómodo atolando-se na aparente falta de interesse quase displicente. Que esta é uma terra de capelinhas e que disso gostamos, e muito, é algo que não surpreende. Elas proliferam que nem aranhas amarelas em … Continuar a ler A minha é maior que a tua.