unidos venceremos

Poucas semanas antes do Carnaval, um pequeno grupo de empresários praienses juntou-se e pediu uma audiência ao vereador que tutela o setor. Não eram mais de meia dúzia, mas a sua iniciativa tinha por objetivo manifestar a preocupação reinante pelo estado em que se encontra a Praia, o seu centro histórico e o comércio tradicional. Disponibilizaram-se para colaborar com a autarquia através da apresentação de propostas, soluções e alternativas. Ao que sei, Tiago Ormonde, o vereador, aceitou o desafio.

Prontamente, o grupo, utilizando os meios disponibilizados para o efeito pelo Município, contactou os restantes empresários do concelho, convidando-os a participarem numa reunião com todos, onde se discutiriam os problemas existentes e se apresentariam propostas que seriam levadas à Câmara para que as materializasse.

Na data e hora marcadas, o grupo inicial reuniu com os empresários que entenderam/puderam estar presentes. O grupo que começou com meia dúzia estava agora maior.

O debate foi participado, tornando-se quente em alguns aspetos. Afinal de contas, a democracia é isso mesmo, cada um apresenta as suas ideias, concorda ou não concorda com as dos outros, esgrimem-se argumentos e, no final, chega-se a um ponto de entendimento. Nem todas as propostas foram validadas pelo grupo. Algumas até seriam contraditórias entre si, mas, no fim, chegou-se a um acordo. Uns cedem aqui, outros ali, e os empresários da Praia acabaram por se entender naquilo que é essencial e não se coibiram de dizer o que pensam, custe a quem custar, doa a quem doer.

Quando o objetivo é o bem comum, é possível chegar a bom porto. Na Praia, iniciou-se um movimento que nasceu fora dos gabinetes e, como é habitual dizer-se, vem debaixo para cima. É claro que nem todos lá estiveram. É claro que nem todos concordarão com as propostas apresentadas. Muitos, aliás, podem nem sequer beneficiar diretamente com a sua implementação, mas perceberam que o coletivo ganhará e que a cidade poderá ser mais cidade.

Quando se diz que os empresários nada fazem, generalizando, está-se a cometer uma grande injustiça. É verdade que muito a eles cabe fazer. Terão de se adaptar às novas exigências do mercado e perceber que os potenciais clientes da cidade são outros. Curiosamente, com maior poder de compra. No fundo, aquilo que qualquer empresário ambiciona. Felizmente, esse filão de clientes já anda pela Praia. Contas feitas por alto, andarão à volta dos trezentos. É muita gente.

O primeiro passo foi dado e a Câmara da Praia já tem em sua posse as primeiras propostas dos comerciantes da cidade. Neste momento, a bola está do lado da autarquia. Senhor vereador Tiago Ormonde, agora, ficaremos todos à espera de resultados da abertura que manifestou ter e desta iniciativa. Da sua concretização dependerá, também, a motivação dos nossos empresários. Será desta?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s