O nosso pequeno mundo.

Este ano, como vem sendo habitual, a ideia seria passar uns dias de férias com os miúdos algures no continente. Procurar um lugar diferente, oferecer-lhes novas experiências, dar-lhes mundo, ajudá-los a crescer. Um cruzeiro no Douro, umas noites numa aldeia serrana ou repetir a experiência de glamping do ano passado eram hipóteses a considerar. Quem sabe até um saltinho a Espanha.

Ficámos, no entanto, pelos planos, mas mantivemos a vontade de tirar férias com os nossos filhos. Face à situação atual, houve necessidade de se fazerem alguns reajustamentos. Em vez de irmos “para fora” optámos por tirar férias nos Açores e, este ano, iremos às ilhas.

O conceito de férias dos meus filhos passa por ter de andar de avião. Para eles, se não houver viagem aérea, não houve férias. Ainda há dias, num passeio aqui pela ilha, dissemos-lhes que íamos à casa de férias de um familiar. Ficaram excitadíssimos com a ideia. É bem verdade que este episódio ocorreu logo após o isolamento obrigatório, mas, ainda assim, não percebíamos a causa de tanta alegria. São crianças, pensámos.

Ao passarmos em frente ao aeroporto – quase sempre passamos em frente ao aeroporto – o nível de excitação subiu de tom, esmorecendo assim que o edifício ficou para trás. Apercebemo-nos logo que algo se havia passado. O que é que aconteceu? Não íamos de férias?!…

Assim, para evitarmos mais constrangimentos deste tipo, vamos fazer uma viagem de avião. Desinfetaremos as mãos, colocaremos as máscaras, cumpriremos o distanciamento social. Alugamos um automóvel e ficaremos depois instalados num alojamento local. Comeremos nos restaurantes e cafés da ilha, iremos fazer umas compras e visitaremos os museus, os centros interpretativos e outros locais que houver para visitar.

Viajaremos de barco para outra ilha e, na outra ilha, também seremos turistas e também consumiremos. Vamos conhecer a nossa terra. Vamos contribuir para que o mundo não pare, vamos continuar a viver.

Talvez possamos ir ver baleias e visitar grutas. Dar mergulhos noutras praias e apreciar outras vistas. Ter novas experiências ou revisitar sensações que havíamos esquecido.

Vamos ouvir música e entrar em igrejas. Andar de escorrega e de baloiço e ver uma montanha gigante. Ver lagoas, ilhas ao longe tão perto e muito mar e muito verde. Vamos ver vulcões. Rocha negra. Vamos ver outras pessoas. Ouvi-las falar de coisas que não conhecemos e, ainda assim, vamos estar perto de casa com gente que é como nós e vive isolada como nós.

Vamos experimentar comidas diferentes. Comer doces que não conhecemos. Ver coisas que nunca vimos. Talvez possamos encontrar amigos. Vamos viver. Vamos continuar a viver. Vamos dar mundo aos nossos filhos. O nosso pequeno mundo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s